Cirurgia Micrográfica de Mohs

A Cirurgia Micrográfica de Mohs é uma alternativa precisa e com benefícios estéticos para o tratamento do câncer de pele não melanoma. Nesta técnica, a margem para retirada do tumor é muito pequena e, consequentemente, tem menor impacto na estética do paciente. 

No procedimento, são removidos cortes das margens do tumor, camada por camada. Ainda durante o procedimento, é realizada a análise microscópica, que permite verificar se realmente todas as células doentes foram removidas. Após esta etapa, pode-se dar início à reconstrução da ferida deixada pela lesão, que costuma ser muito menor do que as lesões provocadas pela cirurgia tradicional. O nível de precisão da Cirurgia Micrográfica de Mohs pode chegar a 98%.

 

Indicação

  • Carcinomas basocelulares de risco aumentado para recidiva; 
  • Carcinomas basocelulares de risco baixo para recidiva, quando o objetivo for preservar a pele saudável em locais críticos; 
  • Carcinomas espinocelulares (ou de células escamosas);
  • Dermatofibrossarcoma protuberans e alguns tumores mais raros de pele.


Pré e Pós-operatório

O pré-operatório da Cirurgia Micrográfica de Mohs consiste em exames cardíacos de rotina, como eletrocardiograma e pressão arterial. Não é necessário o uso de nenhuma medicação pré-operatória especial. O jejum recomendado é de apenas 1 hora, nos casos em que o procedimento é realizado com anestesia local.

No pós-operatório, os pacientes submetidos a Cirurgia Micrográfica de Mohs costumam retornar para a casa no mesmo dia. Consultas pós-cirúrgicas são necessárias para avaliar a evolução do paciente. Por envolver uma menor retirada de tecido saudável, a recuperação tende a ser mais rápida e melhor do que na cirurgia tradicional para remoção do câncer de pele não melanoma.

Entre os cuidados pós-cirúrgicos podemos citar:

  • Evitar agachar ou carregar objetos pesados;
  • Levantar-se lentamente para caminhar,
  • Evitar exposição solar do local da cirurgia por 30 dias;
  • Evitar exercícios físicos intensos por uma semana.

Inchaços e hematomas são normais na primeira semana após a cirurgia. Estas alterações são passageiras e melhoram a cada dia do pós-operatório.

Conheça a equipe NICAP

Dr. Acklei Viana

CRM/SC 11656 e RQE 11538

Saiba Mais

Dr. Jalmir Rogério Aust

CRM/SC 7126 e RQE 7630

Saiba Mais

Dr. Rafael Nunes Goulart

CRM/SC 15664 e RQE 12369

Saiba Mais