Blog

Acompanhe nossas novidades e dicas de saúde.

Quimioterapia no Tratamento do Câncer de Cabeça e Pescoço

ago 7, 2020 | Tratamentos

Quando falamos de câncer, nos referimos a um grande conjunto de doenças que atacam diversas partes do corpo. Apesar de algumas características próprias, estes tumores malignos têm em comum a multiplicação descontrolada de células anormais. Em alguns casos, a quimioterapia pode ser o tratamento mais indicado, inclusive para o tratamento de Câncer de Cabeça e Pescoço.

“As células cancerosas invadem estruturas saudáveis próximas ao local de surgimento do tumor ou podem surgir à distância, na forma de metástases. Esse processo demanda um gasto energético. A quimioterapia é um tratamento que visa destruir as células doentes que originam o tumor.” – Dr. Fabrício Pontes Grando, Médico Oncologista (CRM 27939 / RQE 19193).

Estadiamento do Câncer 

Uma vez diagnosticado o câncer, é muito importante identificar qual o estágio da doença. De acordo com o estadiamento, o tratamento dos cânceres de cabeça e pescoço pode variar bastante.

“De forma geral, o câncer é dividido em 4 estágios. Nos dois primeiros, a doença é precoce e os tratamentos mais comuns são a cirurgia e a radioterapia. Já nos estágios 3 e 4, a doença está localmente avançada ou metastizada. Isso quer dizer que as células começaram a avançar para outras estruturas, próximas ou distantes. Neste estágio, a quimioterapia tem papel importante.” – Dr. Fabrício Pontes Grando, Médico Oncologista (CRM 27939 / RQE 19193).

Principais Tipos e Indicações da Quimioterapia

Uma vez realizado o estadiamento, caberá aos médicos definirem o tipo de tratamento e os seus objetivos. Nesse sentido, a quimioterapia em pacientes com câncer de cabeça e pescoço possui três indicações principais:

Quimioterapia de Indução: 

A quimioterapia de indução é realizada antes do tratamento definitivo. Seu objetivo é reduzir o tamanho do câncer para que ele possa ser eliminado posteriormente de forma eficaz.

Como é realizada?

A quimioterapia de indução é realizada com uma associação de quimioterapias que têm o objetivo de gerar uma alta taxa de resposta. Nesse sentido, os efeitos colaterais (náuseas, vômitos, cansaço e diarréia) tendem a ser mais intensos.

Quimioterapia Definitiva: 

Geralmente, é realizada em conjunto com a radioterapia. Seu objetivo é aumentar os efeitos da radioterapia e curar o câncer da região da cabeça e pescoço.

Como é realizada? 

Geralmente, é utilizado apenas um  medicamento  na quimioterapia definitiva. Nesse tratamento, os efeitos colaterais principais são os causados pela radioterapia (feridas na boca e dificuldade para engolir).

Quimioterapia Paliativa: 

A quimioterapia paliativa é realizada em pacientes com recidivas e metástases. Tem como objetivo reduzir o tamanho e a velocidade de crescimento do câncer. Dessa forma, aumentando a sobrevida dos pacientes e reduzindo sintomas.

Como é realizada? 

Através da quimioterapia convencional ou da associação deste método com terapias modernas, como a terapia alvo e a imunoterapia. Normalmente, estes novos tratamentos possuem menos efeitos colaterais e aumentam a sobrevida dos pacientes.

“Na terapia alvo, um medicamento especial é utilizado junto à quimioterapia tradicional. Ele identifica e ataca as células cancerosas com maior precisão, reduzindo os prejuízos ao organismo como um todo. Já na imunoterapia, o próprio organismo do paciente é estimulado a identificar e combater as células do câncer através do sistema imunológico.” – Dr. Fabrício Pontes Grando, Médico Oncologista (CRM 27939 / RQE 19193).

Efeitos Colaterais da Quimioterapia

Geralmente, vômito, náuseas, sensação de cansaço e diarréia são os principais efeitos colaterais da quimioterapia. Além disso, tratamentos específicos podem ter efeitos como:

  • Terapia alvo: lesões na pele;
  • Imunoterapia: doenças autoimunes como pneumonite, hepatite e hipotireoidismo. 

Administração dos Medicamentos

A quimioterapia é realizada através da administração de medicamentos que eliminam as células que estão em divisão. Normalmente, é administrada por enfermeiros especializados e técnicos de enfermagem. 

O tratamento através de quimioterapia pode ser realizado das seguintes formas:

  • Via oral (pela boca): o medicamento é ingerido na forma de comprimidos. São usados em casa.
  • Intravenosa (pela veia): feita por meio de cateter temporário ou permanente (um tubo fino colocado na veia). Nesse caso, a medicação é diluída em um soro.
  • Intramuscular (pelo músculo): os medicamentos são aplicados por meio de injeções no músculo.
  • Subcutânea (pela pele): as injeções são aplicadas por baixo da pele.
  • Intratecal (pela espinha dorsal): os medicamentos são aplicados no líquor (líquido da espinha), pelo próprio médico ou no centro cirúrgico. É um método menos frequente. 
  • Tópico (sobre a pele ou mucosa): com medicamentos na forma de líquidos ou pomadas, aplicados aplicado na região afetada.

Duração da Quimioterapia

A duração da quimioterapia varia de caso para caso.

“É muito importante que os pacientes façam o tratamento de forma regrada, sem atrasos, para que se obtenha o melhor resultado que a terapia pode oferecer.” – Dr. Fabrício Pontes Grando, Médico Oncologista (CRM 27939 / RQE 19193).

Sobre o autor: 

Dr. Fabrício Pontes Grando, Médico Oncologista (CRM 27939 / RQE 19193) formou-se em Medicina pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Realizou clínica médica e oncologia clínica  pela Universidade Federal de Ciência da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Atualmente, integra a equipe de oncologia clínica do Centro de Pesquisas Oncológicas (CEPON) e da  NOOVA Clínica de Oncologia.

Sobre o NICAP:

O Núcleo Integrado de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (NICAP) é formado por uma equipe de cinco cirurgiões desta especialidade. Somos responsáveis pelo tratamento dos tumores benignos e malignos, infecções, inflamações e doenças congênitas que surgem na região da cabeça e pescoço. Saiba mais aqui.